Política

Congressistas dos EUA e Brasil articulam frente contra extrema-direita

AGÊNCIA BRASIL

Uma carta compromisso em defesa da democracia e contr√°ria aos movimentos de contesta√ß√£o dos processos eleitorais est√° em constru√ß√£o entre deputados e senadores brasileiros e estadunidenses. Os envolvidos esperam expandir esse compromisso para congressistas e organiza√ß√Ķes sociais de outros pa√≠ses da Am√©rica Latina e Europa, criando uma frente internacional contra movimentos da extrema-direita mundial.

Essa frente internacional deve enfrentar os ataques aos processos eleitorais, a exemplo do que ocorreu no Brasil, com o 8 de janeiro de 2023 e nos Estados Unidos, com a invasão do Capitólio, o congresso norte-americano, em 6 de janeiro de 2021. 

Esse foi o compromisso firmado entre a comitiva de seis parlamentares do Brasil, liderada pela senadora Eliziane Gama (PSD-MA), e congressistas dos Estados Unidos, em Washington, como o democrata Jamie Raskin, um dos principais nomes da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigou a invasão do Capitólio.

‚ÄúA gente percebe que ataques √† democracia est√£o acontecendo no mundo todo. A gente tem visto mais recentemente, agora na Argentina, tem c√©lulas [de extrema-direita] no Chile, a√≠ vai Col√īmbia, agora inclusive tem processo de julgamento de tentativas de ataque ao processo democr√°tico na Alemanha. A gente quer costurar um alinhamento internacional de forma que a gente possa ter uma frente ampla internacional em defesa da democracia‚ÄĚ, explicou a senadora Eliziane Gama, relatora da Comiss√£o Parlamentar Mista de Inqu√©rito (CPMI) que investigou o 8 de janeiro.

A senadora, que atualmente preside a Comissão de Defesa da Democracia do Senado, explicou que a ideia é usar essa comissão para articular apoio em outros países, começando pela Argentina, priorizando a América Latina, mas envolvendo também os países europeus.

A comitiva brasileira que foi aos EUA nesta semana também se reuniu com o senador independente Bernie Sanders, que tentou disputar a presidência dos Estado Unidos em 2016 e 2020, e com outros quatro deputados democratas Jim McGovern, Greg Casar, Chuy Garcia e Delia Ramirez.

Congressistas dos EUA e Brasil articulam frente contra extrema-direita. Foto: Caio Guatelli / Instituto Vladimir Herzog
Congressistas dos EUA e Brasil articulam frente contra extrema-direita. Foto: Caio Guatelli / Instituto Vladimir Herzog

Congressistas dos EUA e Brasil articulam frente contra extrema-direita – Foto: Caio Guatelli/Instituto Vladimir Herzog

‚ÄúA carta [que deve ser assinada entre os parlamentares] vai ter como quest√£o central a defesa da democracia e a responsabilidade desses parlamentares em acompanhar os movimentos antidemocr√°ticos e, sobretudo, fazer uma defesa firme da democracia, que sejam reconhecidos os processos eleitorais, que sejam reconhecido os tribunais eleitorais e as juntas eletr√īnicas, e que toque de uma forma muito importante sobre o problema da desinforma√ß√£o das plataformas‚ÄĚ, disse o diretor executivo do Instituto Vladimir Herzog, Rog√©rio Sottili, que ajudou a articular esse encontro entre os congressistas de ambos os pa√≠ses.

Sottili acrescentou que a carta compromisso deve ser publicada nos próximos dias. Para o representante do Instituto Vladimir Herzog, a extrema-direita mundial é uma ameaça às democracias.

‚ÄúO que esses movimentos que est√£o acontecendo na Europa agora, com reuni√Ķes da extrema direita autorit√°ria e antidemocr√°tica, √© para destruir as democracias e o processo eleitoral‚ÄĚ, avalia, acrescentando que ‚Äúo mundo est√° amea√ßado por esses movimentos autorit√°rios antidemocr√°ticos, e isso n√£o pode existir. Isso √© crime e tem que ser tratado como criminoso‚ÄĚ, afirma.

Em uma rede social, o senador Humberto Costa (PT-PE) informou que as reuni√Ķes com os congressistas estadunidenses discutiram os ‚Äúataques √† democracia perpetrados pela extrema-direita e a necessidade de fortalecer mecanismos para defend√™-la, que nos render√£o muitos frutos em a√ß√Ķes no nosso pa√≠s‚ÄĚ.

De acordo com a deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), os congressistas discutiram com Bernie Sanders a preocupa√ß√£o com a articula√ß√£o da extrema-direita mundial, e a necessidade de uma defesa coordenada da democracia em todo o mundo. ‚ÄúO senador se colocou √† disposi√ß√£o para ajudar a construir este movimento internacional‚ÄĚ, disse.

Também participaram da comitiva brasileira os deputados Pastor Henrique Vieira (PSOL-RJ), Rogério Correia (PT-MG) e Rafael Brito (MDB-AL), todos membros da CPMI do 8 de janeiro, que pediu o indiciamento, por tentativa de Golpe de Estado, do ex-presidente Jair Bolsonaro e outras 60 pessoas, incluindo militares de altas patentes.

Entenda

Partidos pol√≠ticos, organiza√ß√Ķes da sociedade civil e movimentos sociais do Brasil t√™m denunciado ataques √† democracia organizados no Brasil pelos apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro, a exemplo dos ataques, sem provas, √†s urnas eletr√īnicas, que justificaram os bloqueios de estradas, os acampamentos em frente aos quart√©is e a invas√£o das sedes dos Tr√™s Poderes, em Bras√≠lia, no dia 8 de janeiro, pedindo um golpe militar no Brasil.

Políticos e parlamentares identificados com o ex-presidente Bolsonaro, por outro lado, têm denunciado no Brasil, e também nos Estados Unidos, que o país estaria caminhando para uma ditadura, com suposta censura às redes sociais. Recentemente, esse grupo recebeu apoio do multibilionário Elon Musk, dono da plataforma X.

No in√≠cio de mar√ßo, uma comitiva de parlamentares brasileiros liderados pelo deputado Eduardo Bolsonaro (PL-SP) foi aos Estados Unidos denunciar suposto cerceamento √† liberdade de express√£o no Brasil. No dia 17 de abril, o Comit√™ de Assuntos Jur√≠dicos da C√Ęmara dos Deputados dos EUA, controlado por parlamentares aliados do ex-presidente Donald Trump, divulgou um relat√≥rio defendendo a tese de censura √† liberdade de express√£o no Brasil.

Congressistas dos EUA e Brasil articulam frente contra extrema-direita. Foto: Caio Guatelli / Instituto Vladimir Herzog
Congressistas dos EUA e Brasil articulam frente contra extrema-direita. Foto: Caio Guatelli / Instituto Vladimir Herzog

Congressistas dos EUA e Brasil articulam frente contra extrema-direita – Foto: Caio Guatelli/Instituto Vladimir Herzog

A iniciativa do comit√™ dos EUA foi classificada pela organiza√ß√£o n√£o governamental Washington Brazil Office (WBO), com sede nos Estados Unidos, como uma distor√ß√£o da realidade e das leis brasileiras promovida pela extrema-direita do Brasil e dos Estados Unidos, com objetivo de confundir a opini√£o p√ļblica estrangeira de que o Brasil est√° sob um regime de censura e, com isso, dificultar as investiga√ß√Ķes sobre o 8 de janeiro.

A senadora Eliziane Gama destacou que é preciso fazer um movimento internacional que se contraponha a esses movimentos da extrema-direita.

‚ÄúEles vivem nos Estados Unidos e dizem que o Brasil est√° caminhando como uma ditadura. E a gente sabe que toda a tentativa de obstru√ß√£o democr√°tica foi feita por eles no governo anterior. Ent√£o, √© por isso que eu acho que n√£o d√° para deix√°-los prosseguirem sem fazer um contraponto‚ÄĚ, defende.