Brasil

Avião da FAB leva 20 toneladas de ração para pets do RS

AGÊNCIA BRASIL

A Força Aérea Brasileira (FAB) embarcou na manhã deste sábado (18) 20 toneladas de ração doadas para o Rio Grande do Sul. Além da ração, para alimentar os cães e gatos vítimas das enchentes que devastaram a maior parte do estado, a aeronave KC-390 Millennium também levou itens essenciais para pets, como caixas de transporte, camas e bebedouros.

Antes da decolagem, houve uma ação que contou com a presença de crianças e cachorros em um ato simbólico ao envio dos produtos para os animais do sul do país. A decolagem ocorreu às 11h32 da Base Aérea de Brasília com destino à Base Aérea de Canoas.

A primeira-dama, Janja Lula da Silva, esteve no local e acompanhou o embarque da ajuda aos pets do Rio Grande do Sul. Junto com a primeira-dama estava a cadelinha Resistência. Ela ficou conhecida nacionalmente após subir a rampa do Palácio do Planalto, junto com Janja e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na posse presidencial em janeiro de 2023.

Brasília (DF) 18/05/2024 Força Aérea Brasileira (FAB) leva para o Rio Grande do Sul,  aproximadamente 20 toneladas de ração para pets.( Primeira Dama Janja Lula da Silva Participou da embarque dos alimentos). Foto José Cruz/ Agência Brasil
Brasília (DF) 18/05/2024 Força Aérea Brasileira (FAB) leva para o Rio Grande do Sul,  aproximadamente 20 toneladas de ração para pets.( Primeira Dama Janja Lula da Silva Participou da embarque dos alimentos). Foto José Cruz/ Agência Brasil

A Primeira-Dama, Janja Lula da Silva, acompanhou o embarque dos alimentos junto com a cachorrinha Resistência. Foto – José Cruz/ Agência Brasil

Além de Resistência, Janja agora tem uma outra cachorrinha, Esperança. A Esperança é uma vira-latinha resgatada das enchentes no município de Canoas e adotada pela primeira-dama e por Lula.

Resgates

Mais de 12 mil animais de estimação e silvestres já foram resgatados das áreas alagadas no estado. Entre os resgatados, há, principalmente, cães e gatos, mas também aves, guaxinins e cavalos. De acordo com a secretaria estadual do Meio Ambiente e Infraestrutura, os animais resgatados passam por uma triagem veterinária. Os que estão em bom estado de saúde são devolvidos aos tutores. Quando estes não são identificados, os animais são enviados para abrigos públicos, organizações não governamentais (ONGs) ou para clínicas veterinárias, caso estejam feridos.