Economia

Banco Central eleva estimativa do PIB para 2,3% neste ano

Banco Central eleva estimativa do PIB para 2,3% neste ano


Da Redação com Agência Brasil

O Banco Central (BC) elevou a estimativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) neste ano, de 1,9% para 2,3%, segundo o relat√≥rio de infla√ß√£o do segundo trimestre, divulgado nesta quinta-feira (27). No primeiro trimestre do ano, o PIB cresceu 0.8%, ritmo considerado ‚Äúrobusto e superior ao esperado‚ÄĚ pelo BC. O banco avaliou ainda que as enchentes no Rio Grande do Sul ter√£o um impacto menor na atividade econ√īmica do que o esperado.

Brasília (DF), 26/10/2023, Prédio do Banco Central em Brasília. Foto: Rafa Neddermeyer/Agência Brasil
Brasília (DF), 26/10/2023, Prédio do Banco Central em Brasília. Foto: Rafa Neddermeyer/Agência Brasil

Sede do Banco Central em Brasília. Foto: Rafa Neddermeyer/Agência Brasil

Segundo o relat√≥rio, no cen√°rio dom√©stico, a atividade econ√īmica e o mercado de trabalho se mostraram aquecidos, o que contribuiu para a queda no desemprego e aumento nos sal√°rios. ‚ÄúEsses fatores justificaram revis√£o para cima da proje√ß√£o de crescimento do PIB em 2024, de 1,9% para 2,3%. As enchentes no Rio Grande do Sul causaram expressiva queda na atividade econ√īmica ga√ļcha, mas j√° h√° sinais de recupera√ß√£o‚ÄĚ, disse o BC.

Cen√°rio externo

Em relação ao cenário externo, a instituição avalia que ambiente se mantém adverso e segue exigindo cautela por parte dos países emergentes. O relatório aponta que permanecem elevadas as incertezas sobre a flexibilização da política monetária nos Estados Unidos e quanto à velocidade na queda da inflação de forma sustentada em diversos países.

‚ÄúOs bancos centrais das principais economias permanecem determinados em promover a converg√™ncia das taxas de infla√ß√£o para suas metas, em um ambiente marcado por press√Ķes nos mercados de trabalho‚ÄĚ, diz o relat√≥rio.

Inflação

Para o BC, a infla√ß√£o, medida pelo √ćndice de Pre√ßos ao Consumidor Amplo (IPCA) deve ficar em 4%, em 2024. A previs√£o anterior era de infla√ß√£o em 3,5%

O relat√≥rio diz que, apesar de ter havido um recuo na infla√ß√£o, aumentou a expectativa de desancoragem. No acumulado de 12 meses, o IPCA apresentou um recuo de 4,5% em fevereiro para 3,9% em maio. A infla√ß√£o tamb√©m registra queda, quando se observam seus n√ļcleos e quando se considera a m√©trica trimestral.

‚ÄúContudo, o recuo da infla√ß√£o no √ļltimo trimestre foi menor do que o projetado no cen√°rio de refer√™ncia apresentado no Relat√≥rio anterior (surpresa de +0,14 p.p.), destacando‚ÄĎse alta mais intensa dos alimentos. Em meio a aumento de incertezas nos cen√°rios dom√©stico e externo, as expectativas de infla√ß√£o para 2025 e 2026, que j√° se encontravam acima da meta de infla√ß√£o para o per√≠odo, aumentaram de 3,5% para 3,8% e 3,6%, respectivamente, segundo a mediana apurada pela pesquisa Focus‚ÄĚ, diz o documento.

Para o BC, as proje√ß√Ķes indicam aumento da infla√ß√£o no segundo trimestre de 2024, mas com retomada da trajet√≥ria de decl√≠nio, permanecendo, por√©m, acima do centro da meta, que √© de 3% ao ano, com margem de toler√Ęncia de 1,5 ponto percentual para mais ou para menos.

Nesse cenário, a inflação acumulada em quatro trimestres, depois de terminado 2023 em 4,6%, com projeção de queda para 4,0%, em 2024, 3,4%, em 2025, e 3,2% em 2026, diante da meta de 3%.

O BC destaca, contudo que, em relação ao relatório anterior, a projeção de inflação para 2024 e 2025 aumentou. A elevação para 2024 atingiu 0,5 p.p. e para 2025 alcançou 0,2 p.p.

‚ÄúPara o horizonte relevante, o aumento resultou principalmente da atividade econ√īmica mais forte que o esperado, que levou a uma eleva√ß√£o no hiato do produto estimado. Contribu√≠ram ainda o aumento das expectativas de infla√ß√£o, a deprecia√ß√£o cambial, a in√©rcia do aumento da proje√ß√£o de curto prazo e a utiliza√ß√£o de taxa de juros neutra maior. Por outro lado, o aumento da taxa de juros real foi fundamental para evitar um aumento mais significativo na proje√ß√£o‚ÄĚ, aponta o documento.



Fonte: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil