Política

Bilion√°rio mexicano elogia economia brasileira e anuncia investimentos

Bilion√°rio mexicano elogia economia brasileira e anuncia investimentos


AGÊNCIA BRASIL ©

O empres√°rio mexicano Carlos Slim, fundador da Am√©rica M√≥vil, maior conglomerado de telecomunica√ß√Ķes da Am√©rica Latina, e que controla a operadora Claro, no Brasil, foi recebido nesta sexta-feira (19) pelo presidente Luiz In√°cio Lula da Silva, no Pal√°cio do Planalto. Eles conversaram sobre o panorama da economia e investimentos programados para os pr√≥ximos anos. Um dos homens mais ricos do planeta, Slim tem uma fortuna estimada em quase US$ 100 bilh√Ķes, segundo estimativas da revista norte-americana Forbes. Ap√≥s o encontro com Lula, o empres√°rio elogiou os rumos da economia brasileira.¬†¬†

“Falamos das economias, como est√£o, a economia do Brasil, que est√° cada vez melhor, com a infla√ß√£o muito reduzida, muitos planos de investimento e o interesse que temos de seguir investindo em telecomunica√ß√Ķes”, disse em conversa com jornalistas.¬†

O mexicano anunciou planos de investimentos para os pr√≥ximos anos da Claro no Brasil, que prev√™ aportes de R$ 40 bilh√Ķes, especialmente em fibra √≥tica, internet de alta velocidade e servi√ßos para cidad√£os e empresas a partir da tecnologia 5G.

Slim tamb√©m falou sobre a alta concorr√™ncia do mercado brasileiro em telecomunica√ß√Ķes e defendeu uma revis√£o da neutralidade de rede, para que as grandes plataformas de tecnologia, as chamadas big techs, paguem pelo uso intensivo de dados. As quatro maiores big techs do mundo (Apple, Microsoft, Meta e Google) usam, segundo Slim, 70% da rede de tr√°fego de dados disponibilizada pelas empresas de telecomunica√ß√Ķes.¬†¬†

“Eu creio que a neutralidade da rede faz com que as grandes empresas, que fazem grandes opera√ß√Ķes, usem a rede, e seria conveniente que fizessem um pagamento m√≠nimo, que se reverta em benef√≠cio ao consumidor, atrav√©s de mais investimento e menores pre√ßos”, defendeu.

Em nota, o Pal√°cio do Planalto informou que o presidente Lula relembrou, na conversa com o empres√°rio, sobre o isolamento internacional que o Brasil viveu no governo anterior e como o pa√≠s se reinseriu no cen√°rio internacional em 2023, com presen√ßa nos principais f√≥runs e reuni√Ķes bilaterais com os principais l√≠deres mundiais.

“Lula relatou o processo de reconstru√ß√£o do Estado brasileiro a partir da PEC da Transi√ß√£o e da retomada de programas sociais. Refor√ßou que em 2024 o Brasil vai crescer de novo mais do que o previsto, assim como ocorreu em 2023, com estabilidade e previsibilidade, e falou dos planos de investimento em infraestrutura, que totalizam R$ 1,7 trilh√£o via Novo PAC nos pr√≥ximos anos”, diz a nota.