Brasil

Caixa Cultural abre no Rio mostra internacional de fotojornalismo

Caixa Cultural abre no Rio mostra internacional de fotojornalismo


Da Redação com Agência Brasil

A Caixa Cultural do Rio de Janeiro recebe, nesta quarta-feira (3), a exposi√ß√£o World Press Photo 2024, principal pr√™mio de fotojornalismo mundial. A mostra, que vai at√© 25 de agosto, re√ļne as 129¬† fotografias vencedoras do 67¬ļ concurso anual e apresenta trabalhos com tem√°ticas diversas, entre as quais, as guerras em Gaza e na Ucr√Ęnia, migra√ß√Ķes, fam√≠lias, doen√ßas, como dem√™ncia, e meio ambiente est√£o. Este ano, o j√ļri tomou a decis√£o excepcional de incluir duas men√ß√Ķes especiais na sele√ß√£o. Quatro fot√≥grafos brasileiros est√£o entre os expositores.

Os trabalhos expostos foram selecionadas entre 61.062 inscri√ß√Ķes de 3.851 fot√≥grafos de 130 pa√≠ses. S√£o 24 projetos vencedores e seis men√ß√Ķes honrosas, num total de 33 fot√≥grafos de 25 pa√≠ses: Argentina, Austr√°lia, Azerbaij√£o, Brasil, Canad√°, China, Rep√ļblica Democr√°tica do Congo, Fran√ßa, Alemanha, √ćndia, Indon√©sia, Ir√£, Jap√£o, Myanmar, Palestina, Peru, Filipinas, √Āfrica do Sul, Espanha, Tun√≠sia, Turquia, Ucr√Ęnia, Reino Unido, Estados Unidos e Venezuela.

Entre os destaques da World Press Photo 2024, est√° a foto do ano Uma Mulher Palestina Abra√ßa o Corpo de Sua Sobrinha, do palestino Mohammed Salem, da Ag√™ncia Reuters, que representa a perda de uma crian√ßa, a luta do povo palestino e as 33 mil pessoas mortas na regi√£o, al√©m de¬† simbolizar o custo do conflito e fazer uma declara√ß√£o sobre a futilidade de todas as guerras. Na reportagem do ano do World Press Photo, a s√©rie Valim-babena, da sul-africana Lee-Ann Olwage para GEO, na qual fot√≥grafa aborda a dem√™ncia, um problema de sa√ļde universal, atrav√©s da lente da fam√≠lia e do cuidado. A sele√ß√£o de imagens feita por Lee-Ann lembra aos espectadores o amor e a proximidade necess√°rios em tempos de guerra e agress√Ķes em todo o mundo.

‚ÄúA exposi√ß√£o World Press Photo traz o melhor do fotojornalismo global. Somos um pr√™mio baseado na Holanda, que traz as melhores imagens da imprensa e da fotografia documental. O destaque este ano √© o de uma mulher palestina abra√ßando sua sobrinha. √Č uma imagem muito impactante‚ÄĚ, diz o curador da mostra, Raphael Dias e Silva.

O projeto vencedor da categoria de longo prazo, Os Dois Muros, do venezuelano Alejandro Cegarra, do The New York Times/Bloomberg, traz imagens que s√£o ao mesmo tempo implac√°veis e respeitosas, e transmitem as emo√ß√Ķes √≠ntimas presentes em diversas jornadas de migra√ß√£o em todo o planeta. E o pr√™mio de formato aberto, A Guerra √Č Pessoal, da fot√≥grafa ucraniana Julia Kochetova, traz imagens emotivas sobre a cont√≠nua invas√£o russa √† Ucr√Ęnia. A obra traz um fio de simbolismo visual, forte uso de sequ√™ncias de cores e colabora√ß√Ķes com um ilustrador e DJ ucranianos. O uso envolvente de √°udio e ilustra√ß√£o ‚Äď especialmente no di√°rio po√©tico e nas grava√ß√Ķes de √°udio ‚Äď destaca-se, conferindo qualidade cinematogr√°fica ao trabalho.

Ao todo, a World Press Photo 2024 será exibida em mais de 60 cidades em todo o mundo.  A mostra já passou por Amsterdã, Londres, Sydney e Cidade do México. Além do Rio de Janeiro e de São Paulo, Berlim, Roma, Hong Kong estão entre as cidades que ainda receberão a exibição.

Brasileiros

Brasília (DF), 01.07.2024. - Foto de barco na areia, para exposição do World Press Photo. Foto: Felipe Dana/Divulgação
Brasília (DF), 01.07.2024. - Foto de barco na areia, para exposição do World Press Photo. Foto: Felipe Dana/Divulgação

À Deriva, dos brasileiros Felipe Dana e Renata Brito РFelipe Dana/Divulgação

Quatro brasileiros que se destacaram no concurso est√£o na World Press Photo 2024. Com Seca na Amaz√īnia, premiada na categoria Individual da Am√©rica do Sul, Lalo de Almeida retrata a realidade de Porto Praia, lar dos povos ind√≠genas Ticuna, Kokama e Mayoruna, que n√£o t√™m acesso rodovi√°rio e normalmente s√≥ √© alcan√ß√°vel por via fluvial. A estiagem fez com que os moradores tivessem que caminhar quil√īmetros ao longo do leito seco do rio para chegar √†s suas casas. Essa fotografia captura a gravidade da crise ambiental global e da seca na Amaz√īnia.

Agraciada com menção honrosa por Insurreição, Gabriela Biló, fotógrafa radicada em Brasília, lança luz sobre os acontecimentos de 8 de janeiro de 2023.

Os brasileiros Felipe Dana e Renata Brito foram premiados na categoria formato com √Ä Deriva. No ensaio, eles contam a hist√≥ria de um barco vindo da Maurit√Ęnia, cheio de homens mortos, que foi encontrado na costa da ilha caribenha de Tobago. Quem eram esses homens e por que estavam do outro lado do Oceano Atl√Ęntico? Os jornalistas procuraram respostas, descobrindo uma hist√≥ria sobre migrantes da √Āfrica Ocidental que buscam oportunidades na Europa por meio de uma rota atl√Ęntica cada vez mais popular, mas trai√ßoeira.

Concurso

 Desde 1955, o Concurso Anual World Press Photo celebra os exemplos mais informativos e inspiradores do fotojornalismo e da narrativa visual de todo o mundo.

Os trabalhos inscritos foram avaliados de acordo com quatro categorias¬†‚Äď individual, reportagem, projetos de longo prazo e formato aberto, que s√£o projetos baseados em fotos que utilizam uma variedade de m√≠dias e t√©cnicas de narrativa.

 A exposição no Brasil é patrocinada pela Caixa e pelo governo federal, e tem o apoio do jornal O Globo e do Consulado Geral do Reino dos Países Baixos.



Fonte: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil