Brasil

Cristo Redentor, no Rio, veste hoje o traje típico da Coreia do Sul

Cristo Redentor, no Rio, veste hoje o traje típico da Coreia do Sul


AGÊNCIA BRASIL

O monumento ao Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, veste nesta sexta-feira (7), pela primeira vez, um traje típico de outro país. Trata-se de um Hanbok, roupa tradicional coreana, que será projetado a partir das 20h, em videomapping sobre a imagem do Cristo, no Morro do Corcovado, representando a união entre os dois países. Neste sábado (8), das 19h às 20h, o monumento será iluminado com as cores da bandeira da Coreia do Sul.

A projeção no monumento ao Cristo Redentor é organizada pelo Centro Cultural Coreano, Embaixada da Coreia, prefeitura de Jinju e Ana Cláudia Guimaraes/Scuola di Cultura. O Hanbok a ser projetado se chama Cheollik e foi utilizado pelo ator Min Namgoong no drama histórico Lovers, no ano passado. Ele foi selecionado com a ajuda do designer sul-coreano Jin Hee Lee, que é embaixador da seda de Jinju.

Jin Hee Lee informou que, na Coreia do Sul, a cor azul representa o nascimento da primavera e da vida, sendo uma das cinco cores tradicionais coreanas. Já na bandeira do Brasil, o azul simboliza o céu e os rios. O cinto do traje é nas cores da logomarca do G20, grupo dos países com as maiores economias do mundo que vão se reunir no Brasil, em novembro próximo.

O diretor do Centro Cultural Coreano no Brasil, Cheul-Hong Kim, destacou a import√Ęncia da proje√ß√£o no Cristo Redentor, uma vez que tal permiss√£o √© concedida para poucas institui√ß√Ķes e, em geral, somente em ocasi√Ķes significativas, como a feita para Edson Arantes do Nascimento, o Pel√©, no anivers√°rio de um ano de sua morte.

Além da ação de mapping, o reitor do Santuário Arquidiocesano Cristo Redentor, Padre Omar Raposo, e o embaixador da Coreia, Lim Ki-mo, gravaram juntos o samba Tá Escrito, de Xande de Pilares, escolhida pelos dois. Gênero musical apreciado pelo embaixador, o samba é considerado uma ponte entre as duas culturas, levando mensagem de esperança e alegria.

O padre Omar lembrou que a colaboração entre os dois países se refletirá em 2027, quando a Coreia do Sul receberá a Jornada Mundial da Juventude pela primeira vez. Um momento de encontro entre milhares de pessoas de diferentes países já foi vivenciado pelos brasileiros entre os dias 23 a 28 de julho de 2013, no Rio de Janeiro, quando o Papa Francisco visitou o Brasil.

Lanternas

Com a parceria do Santu√°rio Cristo Redentor, ser√° realizada tamb√©m a exposi√ß√£o Luzes da Coreia – Festival de Lanternas de Jinju, maior exposi√ß√£o de arte da Coreia do Sul j√° feita no Brasil. A mostra ocupar√° o sal√£o principal do Museu de Arte Contempor√Ęnea de Niter√≥i (MAC Niter√≥i), a partir do dia 9 deste m√™s, levando os visitantes √† cidade de Jinju. O sal√£o ser√° adornado com 1.200 lanternas coloridas de seda e elementos cenogr√°ficos contempor√Ęneos. A exposi√ß√£o estar√° aberta de ter√ßa-feira a domingo, das 10h √†s 18h, com ingressos a R$ 16 (inteira) e R$ 8 (meia-entrada). Eles poder√£o ser adquiridos na bilheteria do museu e pelo Sympla,¬† Nas quartas-feiras, a entrada √© gratuita.