Brasil

Dilma, Haddad e Mercadante repercutem morte de economista

Dilma, Haddad e Mercadante repercutem morte de economista


AGƊNCIA BRASIL

Maria da ConceiĆ§Ć£o Tavares morreu neste sĆ”bado aos 94 anos. Diversas autoridades repercutiram a morte da economista, que se dedicou a defender uma polĆ­tica econĆ“mica com justiƧa social e foi referĆŖncia do pensamento desenvolvimentista, tendo formado diversas geraƧƵes de economistas como professora na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e na Universidade de Campinas (Unicamp).

O Instituto de Economia da UFRJ publicou uma nota de pesar pela morte de Tavares. ā€œPor sua retidĆ£o moral, dedicaĆ§Ć£o e capacidade intelectual, ConceiĆ§Ć£o foi a voz responsĆ”vel pela persistĆŖncia do pensamento latino-americano de esquerda no Brasilā€, diz o texto.

Confira abaixo as autoridades que se manifestaram em homenagem Ć  economista.

Ex-presidente Dilma Rousseff

“Ɖ com grande pesar que recebo a a notĆ­cia da morte da economista Maria da ConceiĆ§Ć£o Tavares. Meus sentimentos Ć  famĆ­lia e aos muitos amigos e alunos. Todos ficamos tristes pela sua passagem.

Uma das mais importantes e influentes intelectuais de nosso tempo, Maria da ConceiĆ§Ć£o amou profundamente o Brasil e o povo brasileiro, tendo sido uma das grandes pensadoras sobre o destino do paĆ­s, os rumos da nossa economia e os caminhos para o desenvolvimento com JustiƧa Social.

Minha amiga e professora era uma mulher brilhante e profundamente comprometida com a soberania nacional, tendo atuado decisivamente na construĆ§Ć£o de um Brasil menos desigual. Era uma portuguesa que veio para o paĆ­s ainda crianƧa e virou uma brasileira de coraĆ§Ć£o e de compromisso firme com o nosso povo.

Minha companheira de lutas e sonhos. Maria da ConceiĆ§Ć£o Tavares, presente!”

Ministro da Fazenda, Fernando Haddad

“Maria da ConceiĆ§Ć£o Tavares deixa um rico legado. Seu pensamento, sua crĆ­tica e sua defesa inegociĆ”vel da justiƧa social serĆ” sempre uma estrela guia para o pensamento econĆ“mico brasileiro.”

Ministro da Casa Civil, Rui Costa

“Hoje, o Brasil perdeu uma de suas filhas do coraĆ§Ć£o, a economista portuguesa Maria da ConceiĆ§Ć£o Tavares, grande referĆŖncia no pensamento desenvolvimentista que ajudou a enriquecer o debate econĆ“mico no nosso paĆ­s. Que Deus a receba e conforte a famĆ­lia.”

Ministro dos Direitos Humanos e Cidadania, Silvio Almeida

“Hoje o Brasil se despede de Maria da ConceiĆ§Ć£o Tavares. Suas liƧƵes permanecem fundamentais para a construĆ§Ć£o de um Brasil que saiba cuidar do seu povo. Obrigado, professora.”

Ministra dos Povo IndĆ­genas, SĆ“nia Guajajara

“Hoje nos despedimos de Maria da ConceiĆ§Ć£o de Almeida Tavares, professora e economista que defendia de forma enĆ©rgica o desenvolvimento econĆ“mico e social que priorizasse os mais pobres. Um dia triste, em que perdemos uma grande referĆŖncia de luta. Seu legado permanecerĆ” vivo!”

Aloizio Mercadante, presidente do Banco Nacional do Desenvolvimento EconƓmico e Social

“Perdemos hoje uma gigante do pensamento brasileiro e mundial. Recebo com profunda tristeza a notĆ­cia da morte da minha querida amiga e mestra Maria da ConceiĆ§Ć£o Tavares, a mais brasileira de todas as portuguesas.

Com densa formaĆ§Ć£o intelectual e profunda coragem, ConceiĆ§Ć£o teve uma vida de compromissos com a democracia, com o desenvolvimento, com a distribuiĆ§Ć£o de renda, com a justiƧa social e com o enfrentamento do neoliberalismo.

Debatedora perspicaz, contundente e de formaĆ§Ć£o heterodoxa, defendeu em sua vasta obra que a economia Ć© um instrumento para melhorar socialmente e politicamente uma naĆ§Ć£o. Na Cepal, desenvolveu contribuiƧƵes originais para a anĆ”lise das caracterĆ­sticas e singularidades da economia brasileira e latino-americana.

Convivemos muito de perto por diversas ocasiƵes, quando a ajudei, por exemplo, na construĆ§Ć£o de sua tese ā€˜Ciclo e Crise: o movimento recente da industrializaĆ§Ć£o brasileiraā€™, em 1977, e na vitoriosa campanha de ConceiĆ§Ć£o Ć  deputada federal em 1994. Ainda, quando tive o prazer de contar com ConceiĆ§Ć£o como minha assessora no Senado Federal, em 2003. Sem falar dos vĆ”rios anos em que dividimos a coluna LiƧƵes ContemporĆ¢neas na Folha de S. Paulo.

NĆ£o poderia deixar de mencionar a imprescindĆ­vel contribuiĆ§Ć£o de ConceiĆ§Ć£o para a construĆ§Ć£o do BNDES, instituiĆ§Ć£o na qual ela entrou concursada em 1958 e que, atualmente, presido. Em marƧo deste ano, na comemoraĆ§Ć£o do Dia Internacional das Mulheres, realizamos uma homenagem Ć  ConceiĆ§Ć£o na sede do BNDES.

Destaco tambĆ©m que ConceiĆ§Ć£o ajudou na concepĆ§Ć£o e na implantaĆ§Ć£o do Plano de Metas.

Neste momento de tristeza incomensurĆ”vel, deixo meu abraƧo fraterno e minha solidariedade para os filhos, amigos, familiares, discĆ­pulos e, especialmente, aos ex-alunos e estudantes de economia, que perdem hoje uma referĆŖncia intelectual de integridade e de compromisso com o Brasil e com o povo brasileiro.”