Brasil

Jornalista Paulo Totti morre aos 85 anos em Salvador

AGÊNCIA BRASIL

O jornalista Paulo Totti morreu nesta sexta-feira (26) em Salvador aos 85 anos. A informação foi confirmada à Agência Brasil pelo filho Iuri Totti. Paulo estava internado na capital baiana havia dez dias, em razão de problemas pulmonares. O corpo está sendo velado no Jardim da Saudade, onde será cremado às 17h. Totti faria 86 anos no próximo dia 10. Deixa três filhos, seis netos e a mulher, a também jornalista Ana Maria Mandim.

Paulo Totti trabalhou na Ag√™ncia Brasil em 2015 e 2016, quando ocupou o posto de gerente executivo de Ag√™ncias na Empresa Brasil de Comunica√ß√£o (EBC). O cargo fazia parte da ent√£o rec√©m-criada Superintend√™ncia Executiva de Ag√™ncias e Conte√ļdo Digital, que tinha por objetivo integrar o trabalho das equipes das ag√™ncias de texto, r√°dio e fotografia e das equipes de web e redes sociais.

26.04.2024 - PAULO TOTTI - Morreu hoje, em Salvador, o jornalista Paulo Totti, considerado um dos textos mais elegantes do jornalismo brasileiro. Foto: Arquivo Pessoal
26.04.2024 - PAULO TOTTI - Morreu hoje, em Salvador, o jornalista Paulo Totti, considerado um dos textos mais elegantes do jornalismo brasileiro. Foto: Arquivo Pessoal

Paulo Totti foi gerente executivo de Agências na EBC РArquivo pessoal

Ao contr√°rio da maioria dos gerentes, n√£o gostava de ficar em sua sala ‚Äď preferia estar na reda√ß√£o, sempre com uma boa prosa, dando uma olhada nos textos em edi√ß√£o e sugerindo mudan√ßas. Foi na gest√£o de Totti que a Ag√™ncia Brasil contou com um programa de correspondentes, com rep√≥rteres em Fortaleza, Salvador, Belo Horizonte, Porto Alegre e Recife, al√©m das tr√™s atuais pra√ßas ‚Äď Rio de Janeiro, S√£o Paulo e Bras√≠lia.

Depoimentos

Coordenadora de edi√ß√£o da Ag√™ncia Brasil, a jornalista L√≠lian Beraldo se lembra¬†com carinho de diversos momentos vividos com Paulo Totti na reda√ß√£o de Bras√≠lia.¬†‚ÄúTotti era uma pessoa alegre, divertida, gentil no trato e rigoroso com o texto. Um jornalista admir√°vel.‚ÄĚ

A jornalista Lana Cristina, que trabalhou com Totti como gerente da Agência Brasil à época, descreve o amigo como a pessoa mais doce e afável que conheceu.

‚ÄúDe um humor refinado e √°cido, quando tinha que ser. Me ensinou tanto sem ser professoral, ensinava com amor, paci√™ncia, humanidade. Contava tantos casos interessantes que, se eu fosse contar, ia dar muitas laudas, s√≥ pra usar um termo de √©pocas dele e minhas tamb√©m.‚ÄĚ

‚ÄúHist√≥rias de como ele teve que fazer entrevistas irrelevantes quando estava num projeto de entrevistas tipo p√°ginas amarelas e tinha que, a mando da chefia, conversar com alguma celebridade tipo revista Caras. Teve tamb√©m uma de quando ele foi preso na ditadura e, na pris√£o, encontrou uma mocinha meio t√≠mida num cantinho. A mocinha era Dilma Rousseff. E tantas outras hist√≥rias e trocas ricas. Ele era uma enciclop√©dia, sem a chatice de uma enciclop√©dia. Uma perda dolorosa essa!‚ÄĚ

Nas redes sociais, o amigo e tamb√©m jornalista Marcelo Beraba postou uma homenagem a Totti, a quem se refere como ga√ļcho bem-humorado e cheio de vida. ‚ÄúFoi um grande amigo. Amigo mesmo. E imenso. Ao longo dos meus 50 anos em reda√ß√Ķes, convivi com poucos jornalistas t√£o completos como ele. Apura√ß√£o, texto, edi√ß√£o, √©tica, honestidade intelectual ‚Äď um jornalista como poucos.‚ÄĚ

‚ÄúAjudou a formar gera√ß√Ķes de √≥timos profissionais‚ÄĚ, escreveu. ‚ÄúA vida toda ‚Äď desde o movimento estudantil em Porto Alegre, durante a ditadura militar, at√© os √ļltimos dias, recolhido em Salvador com a sua grande companheira nesta caminhada, Ana Maria Mandim ‚Äď foi inconformado com esse pa√≠s desigual, com essa elite pol√≠tica e econ√īmica insens√≠vel. Faria 86 anos agora, em 10 de maio. Uma tristeza, uma imensa tristeza. Descanse em paz, amigo.‚ÄĚ

A ex-presidente Dilma Rousseff tamb√©m manifestou-se e disse¬†que o jornalismo brasileiro “perdeu um dos seus maiores talentos e um dos mais primorosos rep√≥rteres da hist√≥ria do pa√≠s dos √ļltimos 50 anos”. “Um profissional correto e um homem profundamente comprometido com a democracia e com os ideais de justi√ßa social”, escreveu¬†em uma rede social.¬†

Biografia

Nascido em Veranópolis (RS), Paulo Totti começou a carreira aos 14 anos como redator de notícias da rádio municipal de Passo Fundo (RS). Aos 19 anos e estudante de direito, foi eleito vice-presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE) e foi para o Rio de Janeiro, onde começou a carreira de repórter no Última Hora. De lá, transferiu-se para a redação do jornal em Porto Alegre.

26.04.2024 - PAULO TOTTI - Morreu hoje, em Salvador, o jornalista Paulo Totti, considerado um dos textos mais elegantes do jornalismo brasileiro. Foto: Arquivo Pessoal
26.04.2024 - PAULO TOTTI - Morreu hoje, em Salvador, o jornalista Paulo Totti, considerado um dos textos mais elegantes do jornalismo brasileiro. Foto: Arquivo Pessoal

Paulo Totti passou pelas principais reda√ß√Ķes de jornal do pa√≠s – Arquivo pessoal

Trabalhou também na Rádio Guaíba de Porto Alegre e, em 1968, participou da equipe de Mino Carta que fundou a revista Veja. Foi chefe da sucursal da Editora Abril em Porto Alegre até 1973, quando se transferiu para a editoria de Brasil na redação de Veja em São Paulo. Ainda em Porto Alegre, antes da transferência para São Paulo, foi preso por atividade considerada subversiva à época. Em 1976, trabalhou no jornal O Globo do Rio de Janeiro, onde foi editor de política e nacional.

Em 1978, assumiu a direção da sucursal da Gazeta Mercantil no Rio de Janeiro, onde trabalhou por dez anos, até ser transferido para Buenos Aires, como correspondente do jornal na América Latina. Lá, cobriu a guerra das Malvinas em 1982 e a criação do Mercosul em 1990. Em 1992, foi enviado para Washington, onde permaneceu por dois anos e meio. Cobriu, na época, a renegociação da dívida brasileira.

Em 1995, voltou ao Brasil e, ap√≥s breve passagem pela reda√ß√£o da Gazeta Mercantil em S√£o Paulo, foi para o Jornal do Brasil, no Rio de Janeiro, como editor executivo. Em 1999, voltou √† Gazeta, desta vez, como correspondente na Cidade do M√©xico. Em 2000, j√° em S√£o Paulo, assumiu a edi√ß√£o da primeira p√°gina da Gazeta Mercantil e, em 2003, foi assessor de imprensa da presid√™ncia do Banco Nacional de Desenvolvimento Econ√īmico e Social (BNDES).

Em seguida, atuou como rep√≥rter especial do Valor Econ√īmico, em S√£o Paulo, onde participou da cobertura das elei√ß√Ķes presidenciais. Ap√≥s sua passagem pela EBC, Totti tamb√©m trabalhou no Conselho Nacional de Justi√ßa (CNJ).

*Com informa√ß√Ķes da Associa√ß√£o Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji).