Economia

Ministro da Agricultura promete novo e mais eficiente leil√£o do arroz

Ministro da Agricultura promete novo e mais eficiente leil√£o do arroz


AGÊNCIA BRASIL

O ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, disse hoje (12) que está previsto um novo leilão do arroz, com data ainda a ser confirmada. Desta vez, a Central Nacional de Abastecimento (Conab) vai ter a atribuição de cadastrar e habilitar os vendedores interessados no processo. O leilão anterior foi cancelado, segundo o ministro, porque a metologia escolhida não se mostrou eficiente.

‚ÄúA Conab usou um m√©todo tradicional, que usa aqui dentro¬†para comprar milho de produtores e o vender para granjas e fornecedores. A metodologia n√£o se mostrou eficiente. Havia prerrogativa no edital que a bolsa cadastrasse os poss√≠veis interessados. Isso causa ao governo e ao mercado uma surpresa, de saber quem operou s√≥ depois de o leil√£o acontecer. N√£o temos compromisso com o erro, Achamos melhor cancelar o leil√£o. Tivemos bons players que participaram. Outros, temos d√ļvidas da capacidade de cumprir aquilo que arremataram. A Conab vai trazer para si esse cadastro, a habilita√ß√£o dos players, para termos um leil√£o mais eficiente e efetivo. E cumprir o papel de n√£o deixar faltar arroz para a popula√ß√£o brasileira com pre√ßo equilibrado‚ÄĚ, disse o ministro.

Rio de Janeiro (RJ), 12/06/2024 - O ministro da Agricultura, Carlos Fávaro durante o FII Priority, no Copacabana Palace, na zona sul da capital fluminense Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil
Rio de Janeiro (RJ), 12/06/2024 - O ministro da Agricultura, Carlos Fávaro durante o FII Priority, no Copacabana Palace, na zona sul da capital fluminense Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

Ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, durante o FII Priority, no Copacabana Palace, no Rio. Foto:  Tomaz Silva/Agência Brasil

Carlos F√°varo tamb√©m criticou comportamento de parte da ind√ļstria do arroz que, segundo ele, quer promover um movimento especulativo no pre√ßo do produto e lucrar com a trag√©dia.

‚Äú¬ī√Č fato que estamos diante de um momento excepcional. Reconhecemos que a safra brasileira √© mais ou menos suficiente para a demanda brasileira. Portanto, n√£o faz¬†sentido nenhum, ao final da safra, no momento em que os estoques est√£o postos, ter aumento de pre√ßos exacerbados como tivemos. Logo ap√≥s a trag√©dia, 30% a 40% de aumento. Se eu concordo com o fundamento dos produtores da ind√ļstria ga√ļcha, de que a safra √© mais ou menos suficiente, podem faltar 500 ou 600 mil toneladas. E se faltar, vai ser l√° na entressafra, n√£o no momento em que acabou a safra‚ÄĚ, disse F√°varo.

O ministro participa do FII Priority Summit, encontro no Copacabana Palace, no Rio de Janeiro, entre empresários e líderes políticos. No evento, Fávaro revelou que ainda neste mês deve ser finalizado o novo plano Safra.

‚ÄúVamos terminar nos pr√≥ximos 15 ou 20 dias, e anunciar o novo plano Safra. O governo Lula se comprometeu que faria, como aconteceu nos governos anteriores dele, planos sucessivos, um maior que o outro. Ent√£o, estou adiantando aqui para voc√™s que ser√° um plano Safra maior este¬†ano‚ÄĚ, disse F√°varo.