Brasil

PF prende casal que fornecia armas para crime organizado

PF prende casal que fornecia armas para crime organizado


Da Redação com Agência Brasil

Agentes da Pol√≠cia Federal, em conjunto com a for√ßa-tarefa internacional de Combate ao Tr√°fico de Armas e Muni√ß√Ķes, prendeu nesta segunda-feira (24) em flagrante¬†um homem e uma mulher que faziam¬†compra, recebimento, transporte e fornecimento de materiais b√©licos para abastecer o crime organizado.

Os equipamentos, recebidos por encomendas dos Correios, eram destinados ao fortalecimento do poder bélico da facção criminosa que domina e explora territórios mediante o uso clandestino de armas de fogo. Na ação de hoje, os criminosos foram detidos em flagrante enquanto retiravam a encomenda com os equipamentos bélicos na Agência de Correios Franqueada, localizada no Complexo da Maré, na zona norte da capital fluminense. A região é dominada pela facção Terceiro Comando Puro, que recentemente numa ação da Polícia Militar, matou dois policiais da tropa de elite da corporação (Bope) com tiros de fuzil.

O casal comercializava miras hologr√°ficas, lunetas, coronhas e carregadores de fuzil importados e de alta capacidade, capazes de armazenar 50 muni√ß√Ķes e realizar at√© 50 disparos ininterruptos em poucos segundos. A mulher tamb√©m estava envolvida na comercializa√ß√£o de pe√ßas de armas de fogo.

De acordo com o delegado da PF, Jos√© Paulo Martins Duval, da Delegacia de Repress√£o a Crimes Contra o Patrim√īnio e ao Tr√°fico de Armas (Delepat-RJ), as investiga√ß√Ķes identificaram que as organiza√ß√Ķes criminosas que atuam no complexo de favelas da Mar√© se utilizam de pessoas f√≠sicas para a aquisi√ß√£o de acess√≥rios de armas de fogo, atrav√©s do recrutamento de pessoas f√≠sicas que em nome da fac√ß√£o adquirem esse equipamento b√©lico tanto no mercado interno quanto no mercado externo. ‚ÄúDessa forma, eles t√™m uma maneira de abastecer as comunidades desses acess√≥rios, que s√£o itens important√≠ssimos, para essa log√≠stica de guerra no Rio de Janeiro, valendo-se dessas pessoas interpostas‚ÄĚ, afirmou Duval.

‚ÄúNossas investiga√ß√Ķes identificaram que, na grande maioria dos casos, h√° uma declara√ß√£o falsa de conte√ļdo desses itens. De forma que eles s√£o desviados e posteriormente encaminhados a essas organiza√ß√Ķes criminosas‚ÄĚ, detalhou o delegado federal.

As penas acumuladas para o presos nesta segunda superam 20 anos de prisão. Eles foram encaminhados à Superintendência Regional da Polícia Federal no Rio de Janeiro e, após a formalização da prisão em flagrante, seguiram para o sistema prisional do Estado, onde permanecerão à disposição da Justiça.



Fonte: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil