Brasil

PM apura possíveis abusos em abordagem a adolescentes negros no Rio

PM apura possíveis abusos em abordagem a adolescentes negros no Rio


Da Redação com Agência Brasil

As pol√≠cias Civil e Militar est√£o investigando se houve excessos na abordagem¬†feita por policiais militares¬†a tr√™s adolescentes negros¬†na porta de um pr√©dio, em Ipanema, zona sul da cidade do Rio de Janeiro. Rhaiana Rondon, m√£e do menino branco que estava junto com os tr√™s, acusa os policiais de terem feito¬†uma ‚Äúabordagem desproporcional‚ÄĚ, racial e criminosa‚ÄĚ.

Texto escrito por Rhaiana foi divulgado pelo cunhado dela, o jornalista Guga Noblat, que é tio do menino branco, em suas redes sociais. Segundo o relato de Rhaiana, os três adolescentes negros, amigos de seu filho, são filhos de diplomatas do Canadá, Gabão e Burkina Faso.

Um v√≠deo mostra os policiais chegando com armas em punho e colocando os adolescentes contra a parede. De acordo com Rhaiana, os quatro foram deixar um amigo na porta de casa, na Rua Prudente de Moraes, quando foram abruptamente abordados por PMs ‚Äúarmados com fuzis e pistolas‚ÄĚ que ‚Äúsem perguntar nada, encostaram os meninos (menores de idade) no muro do condom√≠nio‚ÄĚ.

No relato de Rhaiana, publicado por Noblat, os adolescentes negros são estrangeiros e não entenderam o que os policiais disseram, por isso não conseguiram responder às perguntas. Depois que o filho dela explicou que eles eram de Brasília e estavam a turismo, os policiais perceberam o erro, segundo ela, e liberaram os meninos, alertando para que eles não andassem na rua novamente, para evitar novas abordagens.

A assessoria de imprensa da Pol√≠cia Militar afirmou que os policiais envolvidos na a√ß√£o portavam c√Ęmeras corporais e que as imagens ser√£o analisadas para constatar se houve algum excesso por parte dos agentes.¬†

‚ÄúEm todos os cursos de forma√ß√£o, a Secretaria de Estado de Pol√≠cia Militar insere nas grades curriculares como prioridade absoluta disciplinas como Direitos Humanos, √Čtica, Direito Constitucional e Leis Especiais para as pra√ßas e oficiais que integram o efetivo da Corpora√ß√£o‚ÄĚ, diz nota divulgada pela PM.

A Polícia Civil informou que depois da veiculação de notícias sobre o ocorrido, a Delegacia Especial de Apoio ao Turismo (Deat) iniciou uma investigação. Agentes buscarão ouvir os adolescentes abordados.



Fonte: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil