Brasil

Rio de Janeiro tem mais de 2,8 mil √īnibus vandalizados em um ano

AGÊNCIA BRASIL

A cidade do Rio de Janeiro teve mais de 2,8 mil √īnibus depredados e 28 incendiados nos √ļltimos 12 meses. Em m√©dia, s√£o 230 ve√≠culos depredados por m√™s, gerando um preju√≠zo superior a R$ 24 milh√Ķes em reparos no per√≠odo. Para alertar sobre esse cen√°rio alarmante, o Sindicato das Empresas de √Ēnibus da Cidade do Rio de Janeiro (Rio √Ēnibus) lan√ßou a campanha Quem √© cria n√£o vacila, de combate ao vandalismo contra os √īnibus da capital fluminense.

O início da ação foi marcado por um evento de conscientização de passageiros realizado nesta sexta-feira (26), no Terminal Alvorada, na Barra da Tijuca, na zona oeste da cidade.

Outro n√ļmero que chama aten√ß√£o √© o de 145 √īnibus sequestrados para serem utilizados como barricadas para impedir o acesso da pol√≠cia √†s comunidades. Estima-se que 6,5 milh√Ķes de cariocas tenham sido diretamente afetados em seus deslocamentos por causa dos diversos atos de vandalismo no ano de 2023.

Segundo o presidente do Rio √Ēnibus, Jo√£o Gouveia, os passageiros s√£o os principais prejudicados. ‚ÄúN√£o podemos tratar esses casos como meras estat√≠sticas. Cada √īnibus vandalizado precisa de um reparo a ser feito e, dependendo do tipo de depreda√ß√£o, esse ve√≠culo pode ficar semanas sem poder rodar nas linhas. Um impacto direto na vida do usu√°rio que est√° no ponto esperando pelo servi√ßo. Por isso, estamos comprometidos em trabalhar ao lado das autoridades e da comunidade para combater essa pr√°tica e garantir um deslocamento seguro e confort√°vel para todos”, disse.

A iniciativa tem por objetivo conscientizar sobre a import√Ęncia de preservar o patrim√īnio p√ļblico, garantindo assim seguran√ßa, conforto e o direito de ir e vir dos usu√°rios. A a√ß√£o conta com a distribui√ß√£o de impressos e a divulga√ß√£o de materiais de sensibiliza√ß√£o nos pain√©is dos terminais, TVs internas dos √īnibus e m√≠dias sociais do Rio √Ēnibus.¬†

O sindicato pretende engajar mais de tr√™s milh√Ķes de cariocas na prote√ß√£o dos √īnibus.