Economia

Vendas no varejo crescem 0,9% em abril

Vendas no varejo crescem 0,9% em abril


AGÊNCIA BRASIL

Em abril de 2024, o volume de vendas do com√©rcio varejista cresceu 0,9%, na compara√ß√£o com mar√ßo, na s√©rie com ajuste sazonal. Esse foi o quarto resultado positivo seguido do setor, que acumula alta de 4,9% no ano e de 2,7% nos √ļltimos 12 meses.

Os dados são da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), divulgada hoje (13) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Das oito atividades pesquisadas, cinco avançaram em abril, com destaque para hiper, supermercados, produtos  alimentícios, bebidas e fumo (1,5%) e equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (14,2%), que exerceram as principais influências sobre o resultado geral.

‚ÄúNo caso de equipamentos e material para escrit√≥rio, inform√°tica e comunica√ß√£o, essa varia√ß√£o com grande amplitude significa certo rebatimento do m√™s anterior, quando houve queda de 10,1%, por conta do crescimento forte do d√≥lar. Em abril, algumas grandes marcas deram descontos nos produtos e, apesar da estabilidade do d√≥lar, o setor conseguiu se recuperar‚ÄĚ, disse Cristiano Santos, gerente da pesquisa.

O avan√ßo nas vendas do setor de hiper, supermercados, produtos¬† aliment√≠cios, bebidas e fumo (1,5%), que responde por 55,2% do √≠ndice geral, veio ap√≥s duas varia√ß√Ķes negativas seguidas (-0,2% em mar√ßo e -0,1% em fevereiro). ‚ÄúEssa atividade n√£o cresceu nos dois meses anteriores, com resultados pr√≥ximos de zero, e essa estabilidade, com base um pouco mais baixa, explica o crescimento em abril‚ÄĚ, afirma¬†o gerente.

O setor de m√≥veis e eletrodom√©sticos (2,4%) voltou ao campo positivo ap√≥s a queda de 1,9% em mar√ßo. ‚ÄúEm abril, a trajet√≥ria foi distinta para as duas subatividades: enquanto a de eletrodom√©sticos ficou est√°vel, pendendo para baixo, a de m√≥veis cresceu, o que trouxe o setor para o lado positivo‚ÄĚ, analisa Cristiano.

Segundo ele, o resultado desse segmento √© relacionado a um per√≠odo desfavor√°vel para as vendas no ano passado. ‚ÄúEm 2023, especialmente no segundo semestre, alguns setores tiveram resultados muito ruins para grandes cadeias, com posterior fechamento de lojas. No in√≠cio deste ano, estamos observando uma recupera√ß√£o dessas atividades, inclusive com abertura de novas unidades locais‚ÄĚ, destaca.

No caso do segmento de combust√≠veis e lubrificantes (2,2%), o resultado de abril √© a primeira alta do ano. ‚ÄúNessa atividade, houve comportamento parecido com o de hiper e supermercados. Em janeiro, observamos um resultado pr√≥ximo de zero, seguido de duas quedas. Essa base de compara√ß√£o baixa deu oportunidade de crescimento nessa passagem de mar√ßo para abril‚ÄĚ, avalia o pesquisador.

Outra atividade cujas vendas aumentaram em abril foi a de artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria (0,6%). O resultado marca a terceira alta seguida do segmento, que acumula ganho de 13,8% no ano. 

Por outro lado, as atividades de livros, jornais, revistas e papelaria (-0,4%) e tecidos, vestuário e calçados (-0,7%) ficaram no campo negativo no mês. Para o setor de outros artigos de uso pessoal e doméstico (0,0%), o cenário foi de estabilidade. Nesse segmento estão, por exemplo, as lojas de departamento, óticas e joalherias.

No comércio varejista ampliado, que inclui, além das atividades do varejo, as de  veículos, motos, partes e peças, material de construção e atacado de produtos alimentícios, bebidas e fumo, houve queda de 1%.